Indiferença

Oficina G3

Um farol, esquinas da cidade
A infância na marginalidade
Sem família, nas ruas a viver
Mãos estendidas esperando receber
Vidros fechados, gestos mudos do outro lado
Troca de olhares, indiferença rejeição
Mais um número neste mundo cão
Vidros fechados, gestos mudos do outro lado
Os vícios de crack, constantes ilusões
De vidas banidas em meio as multidões
Alei do mais forte, e o que rola prá viver
Brincando com a morte sem Ter nada a perder
Vidros fechados, gestos mudos do outro lado
Abra o ouvido do seu coração
O amor gera atitudes
Comece a agir, chega de falar
Só com palavras se pode mudar